domingo, 31 de outubro de 2010

CARTA A DILMA


ELEITOR INDECISO ATÉ O ÚLTIMO MOMENTO, RESOLVE COMO VOTAR
Meu nome foi prematuramente colocado sem a devida consulta na lista de eleitores da Dilma, por ocasião do evento dos intelectuais no antigo Teatro Casa Grande. Não mandei retirar porque estava na dúvida se votava ou não no Lula. Quero dizer, na Dilma. No 13, enfim. Lula fez um excelente governo voltado para os pobres e este é o maior elogio que se pode fazer a um governante brasileiro. É difícil retirar a primazia desse mérito. Lula tem um compromisso de ordem superior inconsciente com o povo. Baseado nisso e no fato de que minha turma votava em Dilma, deixei conservar meu nome na lista. Nem liguei. Desde então tenho sido acometido pelas graves preocupações constantemente apontadas pela mídia: a alternância do poder. A gravidade do presidente ao utilizar a marca oficial para eleger sua candidata. O mal cultural terrível que representa para uma nação ver seu presidente menosprezando a lei, jogando com ela a favor dos amigos e contra os inimigos. A ponto de ameaçar a liberdade de imprensa. De entender uma das poucas liberdades comprovadas pela humanidade: que os fins não justificam os meios, sendo este o lema do demônio. Porém minha lista de medos não me deixava dormir. O polvo Paul, dizem que morreu para não ter que escolher entre Serra e Dilma. É uma batalha inglória por falta de qualidade dos candidatos. Essas dúvidas me atormentavam porque é inegável a tendência autoritária e a prática de represália do PT contra os que não se aliam incondicionalmente. E a conseqüente probabilidade de termos a evolução disso sob a forma de uma ditadura.



Por outro lado, de um modo ou de outro estamos salvos, vejam o que é a vida. Existe o lado alegre da História. Se Serra ganhasse, Lula lideraria uma excelente oposição, equilibrando assim os defeitos da democracia. E mesmo com a vitória anunciada de Dilma, acontecerá certamente o mesmo. A certa altura do campeonato, a criatura se volta contra o Criador, como em Frankstein. E Lula fará oposição do próprio PT. Resumindo, tudo depende dele, de Lula, o herói popular. Eu sempre soube do poder da ação individual. É o nome dos homens que aparece no livro da História, não dos partidos. Lula, Luís Inácio da Silva, que no início me pareceu uma figura desimportante, ensinou-me outra vez que o ser humano é surpreendente. Alegrado pelo poder, transformou-se em poucos meses num líder verdadeiro. Provou que é um homem inteligente, esperto, audacioso, um verdadeiro astro que entra inesperadamente na cena do drama político brasileiro. É com ele que devemos nos preocupar. Ele é o homem. Ele é a força. Quem sabe então se o Deus dos políticos e do povo não concede a Lula a lucidez de lutar contra todos esses perigos acima indicados. E, baseado em sua origem, conservar, defender e entregar ao povo brasileiro uma verdadeira democracia? Lula é inteligente. Homem inteligente pode tudo. Deve ter dentro dele o poder da autocrítica e a intuição dos caminhos corretos que constroem a humanidade. Voto em Dilma não porque me botaram na lista, mas por confiança na pessoa do Lula. Talvez ele saiba diferenciar o joio do trigo daqui por diante e nos quatro ou oito anos de governo que o esperam a partir de 2014. Ele compreenderá que mais que a figura do esperto simpático Macunaíma, que dá um jeito em tudo, o Brasil quer e merece um verdadeiro estadista. Um homem que defende a lei, aquilo diante de que todos os homens são iguais. Obedecendo a lei, mesmo perdendo com isso, mesmo discordando dela, até o momento em que possa mudá-la. É com esse estado de espírito que estou saindo para andar os poucos quarteirões e tocar no botão. Votar. Na Dilma, como afirmava a lista. Ou Nulo, se a minha mão tremer pelo destino do Brasil. Senão teclarei 13, embora seja um número bastante suspeito ligado à falta de sorte. Na certeza de que Dilma já está eleita e agora a obrigação do verdadeiro cidadão é aplaudi-la, amá-la confiantemente, colaborar no possível para ajudá-la na nova e difícil missão que a espera. Viva o Brasil e todas as suas contradições!

3 comentários:

Lari Rodrigues disse...

É um assinte ter que descordar do mestre, um abuso, desculpe, eu sou abusada!
Não confio no Lula, não depois de vê-lo aliado ao Sarney, este sim, é inteligente, se bem que a tática do Lula de usar a Dilma como testa de ferro me surpreendeu.
Não posso negar que lula fez muito bem ao povo brasileiro, mas, bom... vamos esperar pra ver o resultado.
Domingos, esse seu post me lembrou o Policarpo Quaresma haha não sei porque, aliás, sei, é porque sua juvende nacionalista de admirou!

Anônimo disse...

Sou obrigado a seguir a linha de raciocínio da Lari.
Lula tem seus méritos;contudo acredito eu que não possui os ideais mais interessantes para nosso país.
aliás acredito eu que ele não foi líder durante seu "reinado" e sim alguem utilizado pelo partido para cobrir quem realmente o liderava.
Caro mestre domingos fico feliz em saber que já saiu o filme juventude;filme do qual gostei muito.
Sou seu fã de carteirinha.
quero deixar aqui um abraço e meus parabens por todos os filmes;principalmente "separações";este;que acho respectivamente o melhor de todos.

Daniel Muzitano disse...

esqueci de colocar meu nome,rsrsrs.
grande abraço